Inimigos de ontem, por interesse político, unem-se e somam forças, para lutar por um objetivo comum e derrotar antigos aliados, quais? 



Pois é! a expressão assinala  para surpresa geral, Inimigos de ontem, PT x PP, por interesse político, unem-se e somam forças, para lutar por um objetivo comum. Não se trata, no entanto, de momentos críticos na história de nossa cidade, ou até melhoria, nos quais a união de juntar forças pra derrotar alguns adversários em comum, supostamente de um lado o prefeito Anteomar pereira "babá", e do outro o ex-prefeito Gutemberg.

Acredito que rivais históricos não abrem mão de suas diferenças por pequenas causas, esquecem às afrontas passadas e contornam a resistência de seus tradicionais pares a fim de compor uma união. O ato significa que eles foram capazes de vencer, e esquecer o passado, cada um em seu próprio território, o PT, que antes era da base aliada ao prefeito babá agora enfrenta com todas as forças almejando ver sua derrota, enquanto isso o PP uniu suas forças na esperança de consumar a derrota ao antigo PMDB, fazendo as oposições pessoais, grupais e partidárias para consumar a união em torno de si.

Não é por pouca coisa que rivais históricos abrem mão de suas diferenças, esquecem os agravos passados e contornam a resistência de seus tradicionais pares a fim de compor uma união, se um dia isso acontecer em são Tomé, para me não será nem uma novidade..


Quem toma a iniciativa, sempre é o lado mais forte, mas aqui em são Tomé foi o contrario, o lado mais fraco se rendeu ao PT. aquele que ganhou a eleição na chapa "babá/ Miguel, que está no governo, nunca saiu, isso é fato.

A razão mais freqüente para juntarem oponentes é a tentativa de agregação, isto é, de atrair quem até então foi adversário, isso só funciona com bastante promessas. Trata-se de um dos processos políticos mais utilizados para reforçar a equipe com pessoas qualificadas, ou desqualificada que são independentes, adversários ou a estes ligadas. E principalmente para enfraquecer os argumentos contrários. Aumentar o apoio político e a legitimidade da eleição ferrenha que ao meu ver não é agora, mas no futuro próximo. 


A união foi buscada em prol de um objetivo maior, do interesse próprio, visado uma eventual chapa. Assim, para realizá-la era preciso ter a capacidade de superar hostilidades passadas e olhar para o futuro, foi o que acontece, o  PT se apresenta como quem deixou a base aliada e o PP fez o mesmo. Não se engane! o PT nunca saiu da base do governo municipal.

Isto tudo se dá em nome do bem estar. A união de adversários se dá em tempos de acirramento político e quase todo o eleitorado assimila o fato suspeito como uma forma de grandeza! É assim a vida política!. Só que por outro lado a união de adversários seria para ganhar as eleições e quando se perde dificilmente tem-se um álibi convincente para a população, para novamente buscar o novo adversário, pois, se anião é para o bem de são Tomé,  então que todos estejam unidos quando a eleição terminar, ou a população verá que supostas parcerias são de fato baseadas em interesse própio, são Tomé precisa de todos.